sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Babilônia...

28/08/2009, 01:30h.


Já não dá mais...


Vejo fantasmas disfarçados de Humanos.

Acorrentam-me neste submundo.

Idealizam conceitos carnais, conceitos banais...

Amordaçam-me.


Chicoteiam meu corpo.

Dão-me do fel para beber.

Babilônia enclausurada.

Escravos oclusos.


A dor já não é passageira.

Procedem à dissecação de corpos vivos.

Redução gradativa e consequente desaparecimento do amor.

A maldade é premeditada.


Onde estão os indulgentes para com os defeitos de outrem???

Existirão, ainda, pessoas dispostas a perdoar ou a compreender???

E quanto aos altruístas???

Compaixão.

Misericórdia.

Perder a razão.

Desorientar-se.

Ilusão (que faz ver o que não é).

Cegueira intelectual.


Desesperança acompanhada de cólera

Atrofia dos sentidos por esclerose.

Impossibilidade de se adaptar a uma situação nova.

Fobias


E o que é pior...

Xenofobia.

Profilaxia entre semelhantes.

Contundem tudo e todos.


Humanidade.

Mistura confusa e desordenada.

Falam do valor de uma coisa sem atender à sua estimação ou circunstâncias.

Inimigos de si mesmo.


Adesão absoluta do espírito àquilo que se considera verdadeiro.

Mas não há mais nada verdadeiro.

Sofrimento perpétuo.

Vulgaridade Globalizada.


Como podem sistematizar uma Vida inteira???


Permutação de valores irrisórios.

Discrepância.

Irreverência com o viver.

Imprudência.


Vejo fantasmas disfarçados de Humanos.

Acorrentam-me neste submundo.

Chicoteiam meu corpo.

Dão-me do fel para beber.


Resistirei...

Persistirei...


Jamais perdoarei a ingratidão.

Meu desejo por Humanizar é incessante.

Procurararei os sentimentos por toda a parte com frequência e importunidade.

Façamos a osmose das classes.


O Mundo é dos justos

O Mundo tem de ser auto-suficiente.

O Mundo é de Paz.


Abaixo a Babilônia!!!